quinta-feira, 19 de julho de 2007

Até onde a internet influi na vida do homem atual?

Desde os hieroglifos que o ser humano expressa o desejo de se comunicar com os outros de sua espécie e deixar o seu legado na história, buscando referência e reconhecimento. Para isto, o mesmo utiliza-se, até hoje, de legendas muito peculiares que o identificam na sociedade, difundem sua mensagem e o alicerçam, terminantemente ao que denomina-se aldeia global.
E com a intensificação cada vez mais massificada da internet, este processo ganha dimensões inapalpáveis, no que concerne à informação ou mesmo o próprio comportamento humano, em 'sites' de relacionamento espalhados pela rede. Mas, até onde é possível delimitar a influência que exerce a internet sob os homens, sob todas as esferas?
Em favor da aceitação social, muitos daqueles que se sujeitam à rede se desconstroem, física e psicologicamente, deturpando valores, num completo amálgama existencial. Já não dicernem mais o real do abstrato, acreditando no próprio conto, o que pode ser perigoso pelo fato de uma crescente esquizofrenia poder instaurar-se, alienando, deste mesmo indíviduo, sua capacidade de relacionar-se em uma comunidade real.
Obviamente, não são todos os inseridos no mundo virtual que partilham desta mesma visão, até porque também não são todos que participam dessa inclusão tecnológica. A internet também é altamente excludente, sob estas entre outras considerações não citadas. Acontece que vive-se sob um jugo subcutâneo da propaganda positiva sobre a rede que, de tão intrínseco, torna-se quase imperceptível que se notem, também, seus males. De modo sutil, somos induzidos a pensar num maravilhoso universo, onde tudo é possível, quando de fato este é um dogma do mundo moderno e capitalista meramente contestável.
A internet, pela sua abrangência, está fora de controle. Não há filtro algum na mesma para a exposição de imagens, informações, materias de qualquer espécie. A internet pode ser uma aliada excelente em termos de conhecimento, a era 'wikipedia' é agora. Mas também pode representar a aculturação individual da pessoa que se deixa levar pela sedução de encorpar a massa 'cult' que representa essa camada dentro de nossa sociedade. A dosagem daquilo que se lê é fundamental, pois equilibra a estrutura e o pensamento de seu criador, que, em certos momentos, parece ter sido subjulgado pela própria criação.