quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Vinte e sete

Imaginação, alada!
Poparte
Warhola!
Sentido
Figurado
Deflorado
na testa.
Cabeça vazia
Oficina gerativa, do ócio à poesia
Ponte de idéias
Debruçada nas
águas da Guanabara
Inteligência imediata
Criatividade explosivo-radioativa cheirando
a tinta e plástico
Fantástico mundo de Ana.

3 comentários:

ROQUE RASCUNHO disse...

você escreve versos como se tocasse bateria numa big band, no jazz mais ácido de todo o repertório!

me amarrei!!!

e eu já repostei o que apaguei ! hahahhahaha

Mariana disse...

Eu já conhecia o texto a tinta, antes de virar pixel. ;)

Ana, te indiquei um post, passa lá:
www.chadesaquinho.wordpress.com

ROQUE RASCUNHO disse...

Lido cinco vezes hoje.